Patchouli

Pogostemon patchouli
 
 










 
Nome Botânico:
Pogostemon patchouli, Pogostemon cablin.
 
Familia Botânica:
Lamiaceae.
(Hortelã, Orégano, Tomilho, Sálvia, Lavanda, Manjericão, Manjerona, Alecrim, Hissopo).
 
Nome em inglês:
Patchouli
 
Tipo de Planta:
Arbusto com folhagem altamente aromática.
 
Óleo Extraído de:
Folhas.
 
Aparência do óleo:
Transparente amarelado/fluído.

Aroma:
Intenso, herbal e perfumado.
Tem um cheiro que lembra madeira, terra molhada e mofo.
 
Origem:
Índia, Indonésia, Malasia, China.
 
Principais constituintes:
Patchoulil alcool, pogostol, patchuleno, patchulenol, sesquiterpeno.
 
Propriedades:
Antiinflamatório, anti-séptico, tônico, citofilático, antiinfeccioso, descongestionante, antibiótico, antifungo, antidepressivo, afrodisíaco, adstringente, calmante, rejuvenecedor, desintoxicante, hidratante, cicatrizante.
 
Principal Utilização:

Tratamento Cutâneo:
Poderoso cicatrizante, trata a pele seca, madura, rachada, rugas, eczemas, dermatite, micose, frieira, ulceração, acne, caspa, seborréia, ferimentos e queimaduras. É antiséptico e bactericida. O patchouli possui propriedades parecidas com a mirra, sendo ótimo para prevenir e tratar o envelhecimento da pele e curar ferimentos.

Outras Utilizações:

Sistema Linfático e Circulatório:
Ajuuda eliminar toxinas, varizes, retenção de liquidos e edemas. Tem propriedades adstringentes e antiflogisticas, uma qualidade secante, sendo um bom hemostático.
 
Sistema Digestivo:
Trata indigestão, dor de estomago, prisão de ventre e diarréia.
Evita e combate infecções por fungos e infecções por bactérias.
 
É tônico uterino.
 
Ação repelente de insetos.
 
Psicologicamente:
Calmante e afrodisíaco.
Trata fadiga, tensão, estresse, dependências de drogas, falta de concentração, ansiedade, depressão.
Conforta e estimula a inteligência, concilia as idéias, ajuda a esclarecer os problemas. Em quantidades pequenas tende a ser estimulante e em maiores, sedativo.

Combinações:
O patchouli dá um toque "quente, oriental e exótico" para qualquer sinergia, combina muito com o aroma da Lavanda, fazendo uma mistura perfumada e bastante relaxante.
E também combina com Sândalo, Olíbano, Limão, Mirra, Benjoim, Alecrim, Vetiver, Cedro, Gerânio, Cravo, Rosa, Néroli, Bergamota, Laranja, Sálvia, Pimenta Negra, Hortelã, Eucalipto, Capim-limão, Cipreste.
Como é um óleo de nota base, deve ser usado em pouca quantidade.
 
Curiosidade:
O Patchouli é muito usado na perfumaria, desde a antiguidade, principalmente em perfumes masculinos e como fixador.
Na Índia é usado como base para incenso e no Oriente em geral para perfumar e preservar tecidos como o linho.
Seu cheiro marcante de "terra, mofo e madeira" era um perfume muito usado nos anos 60 e 70, principalmente em produtos de beleza, sendo hoje associado a um "aroma hippie" ou "antigo".
É um óleo de aroma forte, adorável para alguns ou detestável para outros.
O óleo de Patchouli tem a característica de parecer melhorar com o tempo, e tem diferentes formas de destilação gerando óleos essenciais de aromas e colorações diferentes.
As variações na cor, vão de um amarelo claro ao marron. E no aroma, de uma nota mais verde até uma mais terrosa e amadeirada.
 
Cuidados:
Usar bem diluído.


 
 


O patchouli se tornou conhecido na
Inglaterra incialmente em 1820,
quando foi usado para impregnar
os xales indianos que se tornaram
muito famosos na moda da época
e era impossível vende-los se
não cheirassem a planta.
Na Índia ainda se usa o pachouli para
perfumar xales de linho, em saches
e como incenso.




 





       



Muito usado em cosméticos e como perfume
nos anos 60 e 70, o patchouli é um aroma
com ar "hippie".
Seu aroma "mofado" nos lembra algo antigo.
















 

PATCHOULI
(Pogostemon patchouli)






















 


 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário