Cedro

Cedrus atlantica 
 
 
  
 
Nome Botânico:
Cedrus atlantica, Cedrus libani, Cedrus deodara.

Família Botânica:
Pinaceae.
(Pinheiro e Abeto).

Nome em inglês:
Cedarwood.

Tipo de Planta:
Árvore de grande porte, sempre verde com madeira aromática.

Óleo Extraído de:
Madeira.

Aparência do óleo:
Transparente amarelado/fluído.
 
Aroma:
Médio, amadeirado e perfumado.

Origem:
Africa, America do Norte.

Propriedades:
Calmante, respiratório, rejuvenescedor, expectorante, antiespasmódico, sedativo nervoso, tônico capilar, regenerador celular, diurético, estimulante da circulação.

Principal Utilização:

Sistema Respiratório:
Trata tosse, bronquite, infecções, asma, sinusite, catarro, constipação. Como todos os óleos vindos de lenhos, o Cedro é anti-séptico e purificador para as vias respiratórias, sendo ótimo para tratar qualquer problema relacionado.

Tratamento Cutâneo:
Bom para pele ressecada e madura, calcanhares rachados, calosidades, acne, seborréia, caspa, dermatites, eczema, micose, frieira e psoríase. Rejuvenesce e regenera pele.
É ótimo contra queda de cabelo, estimulando o crescimento dos fios.

Sistema Linfático:
Trata retenção de líquido e inchaços devido ao seu efeito diurético. É um bom estimulante para o sistema linfático, eliminado toxinas e excesso de líquido do corpo.

Outras Utilizações:
Celulite.
Artrite, reumatismo e dor muscular .
Repelente contra insetos/vermes/ratos.
Gonorréia e infecção urinária.

Psicologicamente:
Anti-stress, calmante, relaxante, alivia a ansiedade e tensão.
Excelente sedativo do Sistema Nervoso Central (S.N.C.), revitalizante, estimulante geral para falta de energia.
Traz segurança e determinação, aumentando a força p enfrentar problemas.

Curiosidades:
Ao se falar em Aromaterapia e sua história, consequentemente iremos nos deparar com relatos sobre o Cedro. Registros históricos indicam, que muito provavelmente, esse tenha sido o primeiro artigo aromático descoberto e usado pela humanidade. O óleo da madeira era utilizado como incenso e como conservante por civilizações como a Egípcia, que foi uma das primeiras, se não a primeira, a conhecer e usar as essências naturais. E o Cedro, assim como a Mirra e o Olíbano, estava presente nesses compostos aromáticos usados na medicina e cosmética da época.

Cuidados:
Não usar em pele sensível e evitar na gravidez.

Combinações:
Patchouli, Benjoim, Sândalo, Vetiver, Louro, Cardomono, Bergamota, Cipreste, Eucalipto, Lavanda, Laranja, Alecrim, Palmarosa, Ylang-ylang, Rosa, Limão, Capim-limão, Litsea Cubeba, Olíbano, Tea tree, Citronela, Canela, Cravo.

 
 






Relatos e pesquisas indicam
que os Egípcios usavam
vários óleos naturais, bálsamos,
resinas e plantas em seus rituais
religiosos. Entre eles o óleo de cedro,
que era usado nos processos de
conservação e mumificação.




 

O óleo de cedro é um
fortificante para os
cabelos. Indicado
para queda e
fraqueza dos fios

 


 
Cedrus libani

A espécie de cedro que se extraia óleo aromático
na antiguidade era o Cedrus libani (Cedro do Líbano),
porém essa espécie hoje em dia é muito rara e excassa,
ainda mais para extração de seu óleo essencial.
Hoje, na Aromaterapia, se usam outras espécies
de cedro, como o Cedrus atlantica (Cedro Atlas) e o
Cedrus deodara (Cedro do Himalaya).



 
   





  

Cedro Vermelho, o "falso" cedro.



Encontramos também o óleo essencial de Cedro Vermelho (Juniperus virginiana), trata-se na verdade de uma espécie de árvore da família dos ciprestes e juníperos (Cupressaceae). Porém, uma vez que seu óleo essencial é extraído da madeira, suas propriedades terapêuticas e aromáticas são equivalentes às dos cedros verdadeiros. Por isso acaba sendo considerado como mais um óleo essencial de "cedro" para a Aromaterapia.
 

















CEDRO
(Cedrus atlantica)



































 

Nenhum comentário:

Postar um comentário